segunda-feira, 30 de outubro de 2006

Férias II

Em Roma sê Romano!
Um conselho bem aventureiro para quem se arrisca a ir de férias para sítios com gente muito estranha! Bom, mas como não nos arriscámos sobre o verdadeiro desconhecido, achámos que em frança sê francês (pelo menos tenta), seria uma boa dica para a semana por terras francesas que fizémos. Achámos, é bem o termo, porque mesmo na Europa, os acontecimentos bizarros não deixam de nos surpreender.
Resolvemos comer tarde e a más horas durante todos os dias de férias, e em Espanha este não é um problema, porque há sempre algo que se coma em qualquer café. Em França há uma espécie de ditadura das refeições e a partir das duas da tarde já não é possível comer. O que é que nos resta? Comer crepes na rua a tarde inteira... Ou então uma casa de hamburgueres chique (non-stop 11-24h)!
Bom, em Montpellier (uma cidade mais moderna do que esperávamos), lá fomos comer um hamburguer a uma casa pseudo-chique. O fantástico destes sítios é a quantidade de coisas absolutamente bizarras que tropeçam em nós desde que entramos na porta. Esta casa de hamburgueres, cuja decoração era feita com porquinhos e vaquinhas fofinhas, em paredes vermelhas e tinha mesas de design italiano, servia com simpatia mini pratos em menus de 15€ (os mais baratinhos)! Também tinha uma carta de vinhos, facto que me fez pensar que tipo de vinho recomendariam para um Cheeseburger, ou para uma salada de alface.
Mas o elemento mais perturbador desta refeição foi mesmo a chegada do hamburguer à nossa mesa, com talheres! Comer com talheres fast-food deve servir para enganar o estômago, realmente comemos mais devagar, mas se estivessemos no MacDonalds, o hamburguer teria perdido a validade quando acabasse de o comer. Talheres, hamburguer, por mais que pense, não me lembro de ter aprendido com que tipo de faca devemos comer esta invenção americana, será que os franceses inventaram uma propositadamente para isto?
Na próxima viagem que me leve a França vou estar mais atenta ao tipo de talheres que usam para os aperitivos da cerveja...
Um abraço felino,
Zorbas

quarta-feira, 25 de outubro de 2006

Férias I

Primeira impressão de férias fora deste pequeno país...
Bom, toda a gente sabe (dito à Nuno Rogeiro) que Andorra é o principado europeu das COMPRAS, e que aqui se encontra um pouco de tudo. Em qualquer rua de Andorra há mais solicitações de lojas do que nos centros comerciais que povoam o nosso país. Por esta mesma razão, quando saímos de férias de carro, e porque vamos passar na meca das COMPRAS, deixamos sempre coisas para comprar em Andorra. Desta vez, infelizmente, os atacadores das minhas botas de montanha rebentaram (ainda em Madrid), e como o desenrasque poderia ser o meu apelido, lá ficaram as botas com o atacador pendurado, no entanto, preso às anilhas, e a ideia de parar em Andorra para comprar os ditos atacadores.
Parámos ainda de dia numa rua que tinha o chamado hipermercado Andorra (que é uma mega loja em andares, parecida com um armazém chinês). Entrámos e pensámos que seria o sítio ideal para a compra dos ditos atacadores. Percorremos todos os departamentos da loja, incluíndo o das salsichas alemãs (que havia aos magodes), parámos num sector de vinho (com gatão e porto vintage), vimos a área desportiva e percorremos quatro corredores inteirinhos de sapatos, ténis e calçado desportivo. Vimos graxa de sapatos, roupa de neve e livros, no meio disto encontrámos produtos de higiene, cebolas, bolachas e água mineral. Posso continuar animadamente a descrever um sem número de coisas, porque naquele raio de loja existia tudo (até charutos cubanos). Mas atacadores, singelos atacadores para umas fragilizadas botas de montanha, nem vê-los, e a cereja no topo do bolo foi mesmo a resposta que ouvi de um assistente de vendas (que falava todas as línguas que se pudesse imaginar) : Atacadores? Nã... Compre antes umas botas novas!
Em Portugal funciona ao contrário, Botas, Nã... Não há muita escolha! Já atacadores, em qualquer loja de quinquilharia vendem, e nos hipermercados até se pode escolher por cores...
Forte abraço aos habitantes de Andorra que não compram atacadores...
Zorbas

terça-feira, 24 de outubro de 2006

O amigo das montanhas

Hoje queremos mandar para o Bruno, que neste momento está a caminho de uma montanha enorme (gigantesca mesmo), um forte e longo abraço cibernético, com o desejo de que deixe a sua pegada gelada nesse cume!
A propósito de Bruno (os aficionados vão saber o porquê da ligação), a nova fotobiografia daqueles rapazes irlandeses, que cantam umas coisas de vez em quando, está por aí para ser vista, revista e consultada...
Marcamos um encontro com eles na Irlanda, quando acharmos que conseguimos "entrar" num concerto deles lá (e desta vez sem directas para comprar bilhetes).
Um abraço felino,
Zorbas

terça-feira, 10 de outubro de 2006

Não queremos ofender o BES

Bom, para não haver confusões sobre o Banco mais verde do mercado, eu diria que o tipo do pseudo-assalto em Setúbal apenas escolheu este banco porque é o mais fashion da Banca portuguesa, e apesar da publicidade negativa que promoveu, sabia para onde se dirigir.
Ele tinha tomates, logo não poderia entrar num banco cor-de-rosinha.
Também não iria entrar num Banco vermelho e azul, que ainda por cima é quase espanhol, principalmente porque neste banco (que estava mesmo ao lado) só são mesmo é simpáticos, dinheiro nem vê-lo.
Como é natural, tambem não queria entrar na Banca pública, porque teria que tirar uma senha para pedir um requerimento para poder passar da porta.
O resto dos bancos são confusos ou pequenos, por isso, explicações feitas, o tipo escolheu bem, infelizmente para proporcionar um daqueles momentos televisivos estranhos às quatro da manhã (que só os notívagos de fim de semana vêem) e pelas razões mais absurdas possíveis (assunto que ele resolve com a polícia).
Sobre a Banca, estamos esclarecidos, e esperamos que esta explanação "limpe" o comentário anterior de eventuais más imagens a propósito de bancos importantes para o orçamento familiar de muitas famílias protuguesas...

segunda-feira, 9 de outubro de 2006

Para os amigos do gerente do banco...
















Eu que tenho uma dúvida sobre isto:
Dentro do seu banco, onde encontraria ele o seu gerente de conta?

quarta-feira, 4 de outubro de 2006

Aos amigos trintões...

Os melhores desenhos animados do mundo eram de um traquinas, que vivia em New Orleans, que via o Mississipi, e que todos os dias aprontava alguma travessura.
Dedico aos trintões a letra do genérico desta aventura...


TOM SAWYER

Vês passar o barco
rumando p’ró o sul
Brincando na proa
gostavas de estar
Voa lá no alto
por cima de ti
um grande falcão
és o rei és feliz

E quando tu
vês o Mississipi
tu saltas pela ponte
e voas com a mente

Nuvens de tormentas
Estão sobre ti
Cobrem todo o céu
por cima de ti
Corre agora corre
e te esconderás
entre aquelas plantas
ou te molharás

E sonharás
que és um pirata
tu... sobre uma fragata
tu... sempre à frente de um bom grupo
de raparigas e rapazes

Tu andas sempre descalço, Tom Sawyer
junto ao rio a passear, Tom Sawyer
mil amigos deixarás, aqui e além
descobrir o mundo, viver aventuras (bis)