terça-feira, 8 de julho de 2008

Há que baralhar, baralhar e dar de novo...

Turim, Outubro de 2007

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Afinal o horóscopo pode ser realista...

Amigos!
Ontem estava mesmo chateada, mas lembrei-me que em Janeiro deste ano, naquela altura em que dormi muito pouco e estive fechada em casa com a minha pequena flôr, li num horóscopo (porque não temos grande capacidade de assimilar coisas nestas alturas da vida e os horóscopos parecem-me sempre divertidos) que a vida me ía correr bem a partir de meio do ano. Então, como sou uma optimista crónica por natureza, pensei, bom, tenho que reler o horóscopo, decidir se aceito o destino, ou então encontrar um sítio para ir sarar mágoas da vida.
E ontem acho que comecei a acreditar que afinal o horóscopo estava certo. Pequenos pormenores na vida fazem toda a diferença e o que me fez pensar foi mesmo um pequeno pormenor com grandes consequências...
É bom sentirmo-nos a mobilizar energias para coisas positivas, e por momentos deixar de lado alguns acidentes de percurso.
Afinal vou passar a acreditar em horóscopos!
Ou então não e vou mas é curtir a vida que é o que me tem faltado...
Um abraço felino

terça-feira, 1 de julho de 2008

Quando a vida ensina a sorrir...

A vida não me tem corrido muito bem.
Na verdade nem sequer posso fazer nada para mudar, não depende de mim nem de ninguém, depende da química de medicamentos e de outras envolvências que não interessam para o caso. De facto, com tudo isto e mais outras tantas coisas que também dependem de terceiros, podia baixar os braços e dizer que não me apetece mais viver assim.
Mas a vida ensina a sorrir, e a mim ensinou-me que os bebés são anjinhos que nos fazem concentrar esforços e encontrar forças onde não existem.
Um grande bem haja aos bebés que me rodeiam, sobretudo, à minha filha.
Um abraço felino