sábado, 29 de abril de 2006

quinta-feira, 27 de abril de 2006

Problemas com o trânsito...

A verdade é que tenho um problema metafísico com as indicações de trânsito deste país!

Expliquem-me, se souberem, por que razão existe uma passadeira imediatamente a seguir a uma saída de rotunda ou de um cruzamento com pouca visibilidade?
Quem é que propõe esta localização tão descabida? Bom, quando sou peão, nunca atravesso nestes sítios (o objectivo não é fazer o trânsito circular melhor com as rotundas?), porque não me apetece ser atropelada... E quando sou condutora rezo para não haver peões a atravessar no momento em que vou a desfazer a curva da rotunda. A verdade é que os condutores não têm sempre culpa, porque se vão circulando dentro da rotunda, dificilmente conseguem ver as pessoas no passeio antes de estarem em cima delas. A mesma situação acontece com os cruzamentos com pouca visibilidade. Já é difícil para o condutor entrar num destes cruzamentos, porque por vezes não é possível ver os outros carros, quanto mais ver as pessoas.

Aos peões deste país, não levem a mal, mas os condutores ainda não vêm equipados com visão 360º e com night vision, por isso desculpem qualquer coisinha.

Já agora porque é que as obras (de qualquer tamanho) das várias estradas são sinalizadas em cima do local onde estão a decorrer? Meus amigos, numa auto-estrada alemã, em direcção a Munique, em 1998, eu li informações sobre obras na estrada a 70 Kms do local onde estavam a ser realizados os trabalhos. É assim tão caro por os sinais de obras um pouco mais afastados? Também me é difícil entender porque motivo as obras geram sempre informações de trânsito altamente contraditórias, e que não são mais corrigidas.
Eu sei que os políticos após a campanha eleitoral raramente recolhem os cartazes, mas as placas de obras permanecem sistematicamente nos sítios, quando a maioria das vezes já nem nos lembramos que ali aconteceram obras.

Outra dificuldade que eu tenho é a de perceber por que raio de razão as vias de aceleração para entrada numa via rápida ou auto-estrada são as mesmas que as de abrandamento para quem está a sair. Acham de verdade que as pessoas querem sair e voltar a entrar de novo na via, ou é mesmo porque é mais barato fazer apenas uma via. É verdadeiramente kafkiano tentar entrar numa estrada com muito movimento quando temos uma fila de carros que quer sair.

Isto tudo serve apenas para dizer que as campanhas de sensibilização são boas mas não chegam, falta-nos o factor fundamental, na maioria das vezes, que é o planeamento do trânsito com racionalismo!

Pode ser a minha costela alemã a falar, mas custa assim tanto perceber estas as incongruências e evitar com a sua correcção um sem número de acidentes?
Muito Obrigada,
Espero que me compreendam...

quarta-feira, 26 de abril de 2006

Zorbas o Gato

Zorbas o gato grande preto e gordo, o gato do porto.