segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Adeus pai...

A importância de te chamares Ernesto!
Só nós sabemos, e sabêmo-lo muito bem.
Fazes-me rir quando não tenho vontade, fazes-me chorar com a tua partida, fazes-me olhar para dentro e pensar que herdámos de ti o melhor.
Um dia perceberei porque partiste tão cedo.
Agora é tempo de olhar para a nossa princesa pequena, ela precisa de nós. Quando não souber o que fazer, lembrar-me-ei de ti e enfrentarei as dúvidas com as certezas que me deste nestes trinta e um anos de vida.
Serás sempre o melhor pai que poderiamos desejar e temos um orgulho imenso naquilo que nos ensinaste a ser.
Até ao nosso encontro estrelar.
Não vou chegar tarde, porque sei que não gostas, não vou conduzir rápido porque ficas preocupado, não vou preocupar a mãe porque sei que não queres.
Até sempre papá.
Com amor,
da tua filha.

PS: um recado da nossa princesa: ndBGFBAGFAGFAikgfnwhnguerghuwhgbdvslEI



Não posso deixar de te dedicar a tua música de eleição.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Não posso deixar de partilhar isto..., simpaticamente enviado pelo André esta manhã!

Car@s amig@s

A inauguração da exposição "fio da Memória" foi um dos momentos mais intensos que vivi nos últimos tempos.
deixo aqui um texto que escrevi, inspirado nesta maravilhosa e solarenga tarde de inverno.
se seguirem o link abaixo, também vão encontrar algumas fots

www.flickr.com/photos/metrografismos

A quem não pode estar hoje, recomendo a deslocação.

Melhores cumprimentos
André

*****************

OS OPERÁRIOS

Os operários vestiram os seus fatos domingueiros e levaram os netos e as memórias a passear.
- Não és tu quem estás ali?
- Maria, aquele é o teu pai!
- Olha, vês aqui? É o avô Malheiro.
Rapazes e raparigas de outros tempos foram o centro das atenções. A fábrica encheu-se e eram as suas vidas que contavam para quem, entre eles, circulava.
- Aqui era a sala de enchimento.
- Está tudo tão diferente… o espaço ficou muito bonito depois de ser limpo.
Histórias antigas, dos que sobreviveram à explosão e de quem já não a pode recordar.
- Este é o Sr. João, este é o Manel, o ti Zé, o Afonso da Mira… já cá não está nenhum.
Trabalhadores especializados ou serventes, toda a família inteira viveu da fábrica. Era perigoso, mas garantia a segurança de um salário fixo.
- Vocês são raparigas novas, não sabem como a vida foi dura para nós. Ganhava 18 escudos, uma miséria.
Vinham para o vale a pé e de bicicleta. Moravam em Queluz de baixo, Barcarena, S. Marcos, da Agualva, Rio de Mouro e em tantos outros sítios.
No sol de Inverno, os dedos retorcidos acariciaram-se nas fotografias.
Riram orgulhosos de se verem na televisão. Os operários estavam contentes.


Sintra, 21 de Dezembro de 2008

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Afinal os tempos sempre são o que eram...

Nunca a expressão "Aqui há de tudo, como na farmácia" teve tanto sentido como agora!
As farmácias portuguesas são, agora, como antes, uma tábua de salvação para muitas maleitas e também para tantas outras coisas do nosso dia a dia. Então vejamos:
Entramos numa farmácia, que agora, consoante a época do ano, tem uma montra com protectores solares ou com cremes anti-celulite, dispostos em cubos e escadinhas apelativos à pessoa que passa na rua. Portanto, entramos e logo à porta temos um expositor de sapatos ortopédicos, cada vez mais parecidos com sapatinhos normais, e meias de descanso, enfiadas em bonecos de tamanho humano, parecidos com os das lojas de lingerie.
Pelos corredores das farmácias abundam expositores com formas mais ou menos engraçadas a vender coisas para queda do cabelo, gripes e constipações, emagrecimento, vitaminas para a dor da unha do pé, comprimidos para o brilho das unhas, etc, etc, etc...
Chegamos ao balcão e temos potes com batons de todas as qualidades e feitios.
Finalmente, temos uma montra considerável de produtos para bebés, cosméticos e produtos para o cabelo, e numa farmácia em particular, até temos piano e concertos.
A juntar a tudo isto temos ainda um cartão de pontos, que varia entre os cartões das gasolineiras que dão brindes, e os cartões dos supermercados que dão descontos.
O pobredo farmacêutico, que deve ter objectivos mensais de produtos para vender, bem tenta impinjir-nos coisas que afinal não precisamos, mas o que tem que fazer cada vez menos, é mesmo vender medicamentos, que com sorte, quando precisamos não existem em stock na farmácia.
Bem vistas as coisas, podemos resolver muitas das nossas compras na farmácia, onde há de tudo, de facto!
Um abraço felino,
Zorbas

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Estou um pouco atrasada, mas cá vai:



Parabéns Ritas!
Por razões diferentes, esta imagem lembra-me sempre vocês as duas.
Um abraço felino e desculpem o atraso...
L.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

...

Placa para futuros infortúnios:

"A pessoa responsável por este estaminé, com todos os ossos, musculatura, nervos, veias e recheio celular e molecular, saíu para a natação e volta quando o tempo estiver mais azul. Entretanto, por favor, batam a outra porta."
A gerência

Zorbas, o gato

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

A escolha musical de um dia de chuva.

Descobri esta coisa absolutamente viciante e agora escolhi dar-vos música!
Um abraço felino, fiquem com esta que é do melhor...

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Irmão és o Maaiiorrr!

Falta-nos sempre tempo para o passeio de fim de tarde, mas um dia, brevemente - espero - teremos muitos passeios com crianças aos pulos na neve...







Neighborhood #1 (Tunnels)


Arcade Fire, 2004 Funeral





And if the snow buries my...
My neighborhood
And if my parents are crying,
Then I'll dig a tunnel from my window to yours
Yeah, a tunnel from my window to yours


You climb out the chinmey
And meet me in the middle
The middle of the town

And since there's no one else around,
We let our hair grow long and forget all we used to know
Then our skin gets thicker from living out in the cold
You change all the lead sleeping in my head
As the day grows dim, I hear you sing a golden hymn...
Then, we tried to name our babies
But we forgot all the names that,
The names we used to know
But sometimes,
We remember our bedrooms and our parent's bedrooms and the bedrooms of our friends
Then we think of our parents...
Well, whatever happened to them?!
You change all the lead sleeping in my head to gold
As the day grows dim, I hear you sing a golden hymn
It's the song I've been trying to sing...
Purify the colors, purify my mind
Purify the colors, purify my mind
And spread the ashes of the colors over this heart of mine!


Aqui,



















OU assim



We'll see you soon.
Tua SIS...

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Prémio não esquecemos ainda...

A propósito dos comentários da Dra. Manuela Ferreira Leite (não aqueles absolutamente non-sense sobre acabar a democracia por 6 meses, porque sobre esses, enfim, está louca), ela terá dito:
"- Não gosto de reformas!"
Serei só eu a recordar os saudosos tempos das manifestações escolares contra a Ministra da Educação Ferreira Leite e a tão polémica (para a época) reforma do ensino que incluía a realização de provas globais no ensino secundário e o fim das três disciplinas no 12.º ano? É que se ela não gosta de reformas, imaginem se gostasse!
Um abraço felino,
Zorbas

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Prémio "Esquece lá isso"

In Público - Escrito na pedra:

"Aos alunos que tiraram C, eu digo: vocês também podem ser Presidente dos EUA"

George W. Bush (Presidente dos EUA,1946-)

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Pensamento do dia...

"Devido às quedas de bancos, queda nas bolsas, cortes no orçamento, à crise nos combustíveis e pelo racionamento mundial de energia, informamos que a famosa "luz ao fundo do túnel", está temporariamente desligada".

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Ao Gui


Olá pequeno!


Ficam aqui as efemérides do teu dia de aniversário:


29 de Outubro:
1340 - Dá-se a Batalha do Salado, pela defesa da Península Ibérica da invasão dos mouros.
1810 - É fundada a Real Biblioteca, hoje designada como Biblioteca Nacional do Brasil.
1929 - É considerado popularmente o início da Grande Depressão.




2008 - Mais importante que isto tudo, chegaste tu num lindo dia de outono!

Benvindo a este mundo,


UM ABRAÇO FELINO,
Zorbas

domingo, 26 de outubro de 2008

So what!

Então parece que uma tipa louca, que cortou a sua própria filha às postas e escondeu o corpo (porque a filha a tinha visto em actividade sexual com o próprio irmão), levou umas valentes bofetadas da polícia judiciária. E nós com isso...
Por mim podia ser cortada às postas também, a importância que lhe daria era a mesma que a que dou à programação dos canais de televendas na televisão. Porque raio de razão dão voz e espaço de notícias a estas pessoas?
Já agora, porque raio de razão vivia aquela criança com esta tipa louca?
Os polícias, de facto, não lhe deviam ter batido, porque depois dão margem de manobra para os politicamente correctos dizerem que esta mulher tem direitos, que roubou à sua filha quando lhe tirou a vida, mas enfim. Com tanta gente que merece uma vida melhor, esta mulherzinha não merece viver.
Um abraço felino,
Zorbas

sábado, 18 de outubro de 2008

Parabéns João

e PRINCESA DIZ:
M BHÇ Ç JJSO

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Estamos a fazer serviço público, novidades cinematográficas...

Já que sugeri aqui festivais de cinema por esse mundo fora para gente muito endinheirada, fica aqui uma ideia de um festival que me é particularmente querido, com documentários de todo o tipo. Sigam a programação e este ano vão por mim, porque eu estarei ocupada com fraldas e sopinhas...

www.doclisboa.org

Um abraço felino,
Zorbas

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Em tendo dinheiro, cá está uma boa ideia...

Um dos mais pujantes festivais de cinema fora dos circuitos comerciais...

http://www.nouveaucinema.ca/2008/

Um abraço felino,
Zorbas

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Aos que não acreditam na Europa...

Parece que uns loucos do outro lado do oceano resolveram tombar. Como o mundo moderno tem dificuldades em lidar com o falhanço, estamos todos em clima de pânico absoluto para tentar perceber o que mais vai tombar também.
Contudo, eu (que sou a favor da Europa e acho que devemos ter uma constituição europeia, parlamento representativo, polícia europeia, bandeira e hino e o resto que vier a fazer sentido), acho que finalmente percebi como é bom ter as costas quentinhas com uma moeda europeia e com o dinheiro de todos contribuintes europeus. Se não acreditam olhem para a Islândia...
Um abraço felino
Zorbas

PS: aqui vai uma boa ideia para o inverno...
http://festival.sundance.org/2009/

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Estamos a fazer serviço privado...

Será que o Dr. Freud nos poderia explicar porque se deitam as pessoas no divã quando vão ao psiquiatra?

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Parece que Deus vem a Lisboa

Este país é mesmo importante! Afinal Deus vem a Lisboa! Para aqueles que desejam pedir-lhe uma coisa especial de corrida, passem pela Aula Magna, pode ser que vos atenda. Eu acho que esta coisa de vir a uma cidade como Lisboa e escolher a Aula Magna em vez de um espaço maior irrita-me. Vou esperar que passe por Alvalade...
Abraços felinos
Zorbas

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Ora bem, parte II de uma coisa que não escrevi aqui, mas pensei.

Ora bem, cá estamos.
E estaremos muito mais tempo para todos os Ora Bem que por aí andam...
Amanhã não sei se terei um ora bem, mas antes um Ok, estou viva e sobrevivo.
Parece que a vida é mesmo assim, feita de Ora bem e Ok, eu sobrevivo.
Zorbas

PS: mensagem altamente codificada para alguém nonsense que não me conhece de lado nenhum e que pensa que se calhar sou um bocado doida (e não é que sou mesmo!)

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

À Espera do Fim

Vou andando por aí
Sobrevivendo à bebedeira e ao comprimido
Vou dizendo sim à engrenagem
E ando muito deprimido
E é difícil encontrar quem o não esteja
Quando o sistema nos consome e aleija
Trincamos sempre o caroço
Mas já não saboreamos a cereja

Já houve tempos em que eu
Tinha tudo não tendo quase nada
Quando dormia ao relento
Ouvindo o vento beijar a geada
Fazia o meu manjar com pão e uva
Fazia o meu caminho ao sol ou à chuva
Ao encontro da mão miúda
Que me assentava como uma luva

Se ainda me queres vender
Se ainda me queres negociar
Isso já pouco me interessa
Perdemos o gosto de viver
Eu a obedecer e tu a mandar
Os dois na mesma triste peça
Os dois à espera do fim

Tu tens fortuna e eu não
Podes comer salmão e eu só peixe miúdo
Mas temos em comum o facto de ambos vermos
A vida por um canudo
Invertemos a ordem dos factores
Pusemos números à frente de amores
E vemos sempre a preto e branco o programa
Que afinal é a cores.

Se ainda me queres vender
Se ainda me queres negociar
Isso já pouco me interessa
Perdemos o gozo de viver
Eu a obedecer e tu a mandar
Os dois na mesma triste peça
Os dois à espera do fim
Só à espera do fim !!!

Jorge Palma

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Haverá rei mais simpático que este?

Um grande bem-haja aos reis do desporto. Este é só e apenas o melhor desportistas dos últimos tempos (na minha opinião é também o mais giro).
O melhor de tudo é que tive o prazer de o ver ao vivo e a cores e de saber, por gente bem informada, que é uma pessoa mesmo simpática.
Um abraço felino,
Zorbas

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Mérito

O mérito é simplesmente quando alguém, com esforço ou não, faz por merecer um elogio ou uma reprimenda.
Mereçamos os elogios da vida e as reprimendas dos outros, porque assim temos o mérito de sermos nós mesmos...
Um abraço felino
Zorbas mamã

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Vox pop

(conjugação do verbo haver) escrita por aí que mete dó (sinónimo de pena). Quando li, de fio a pavio, uma daquelas revistas cor de rosa pensei: (em geral usam-se dois pontos num texto quando queremos introduzir o discurso directo de uma personagem, a não ser que sejamos - leia-se sejamos e não sêjamos - o José Saramago e então podemos escrever como nos apetece sem olhar a pontos finais e travessões)
- Ora bem, não é possível não ter encontrado nenhuma gralha!
E porquê tanto drama por causa de uma gralha? Porque, como me irritam as coisas mal escritas, eu achei que poderia gozar com este tipo de revistas e afinal não posso! Contudo, e isto é mesmo o que me irrita (por norma colocamos vírgulas quando queremos reforçar uma ideia ou quando acrescentamos algo distinto daquilo que estavamos a mencionar anteriormente, como uma espécie de pausa no discurso) , quando abro o jornal todos os dias, mesmo que ache que é um bom jornal, encontro sempre o mesmo tipo de erros.
As gralhas podem e devem ser desculpáveis, por vezes esquecemo-nos (esquecemos-nos é uma palavra inexistente) que o computador tem uma ortografia automática (esta palavra continua a levar acento) e até tem um dicionário de sinónimos, para aqueles de nós que são menos criativos... Portanto quaiquer (quaisqueres também é uma palavra que não existe apesar da insistência de muita gente) que sejam as razões, algumas falhas são mesmo resultado de uma escrita deficiente (defeciente, infelizmente para alguns, também não existe) e em português os pormenores (a palavra promenores também não está contemplada no nosso dicionário) fazem toda a diferença. Aqui vão alguns exemplos daquilo que tenho lido por aí:
Alguns jornalistas não se entendem sobre se devem escrever impacto, impacte ou impact (esta última versão deve ter saído como consequência das férias de alguém).
A palavra desapercebido (muito deselegante, na minha perspectiva) não poderia ser traduzida em despercebido, muito mais simples e menos popularucho...
As vírgulas não existem em textos longos, parece que pagam por cada uma e por isso não conseguem decidir onde usá-las. Mas o cúmulo é a pontuação dos textos mais curtos e das linhas que nos chamam a atenção para alguns assuntos, que são mal pontuadas e muito pouco charmosas (sim, porque a nossa língua tem muito charme!).
Resumindo, e como a gota de água (o acento de água é mesmo assim e não ao contrário) foi mesmo o verbo Haver mal conjugado e sem o célebre H, vou passar a ler literatura cor de rosa.
Um abraço felino

Zorbas, o gato grande, preto e gordo...

PS: assim posso dar erros a escrever e desculpar-me com o tipo de imprensa que leio...
PS 2: felizmente tenho amigos jornalistas que subscrevem o que acabei de escrever...

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Sei de um anjo...

Há pequenas coisas do dia a dia que nos fazem pensar. Numa viagem banal de carro num destes dias confirmei que continuo a ter uma estrelinha ou anjinho num sítio qualquer. Quando estas coisas acontecem percebemos que há coisas realmente importantes e o resto é mesmo conversa.
Portanto, não acreditando num sem número de coisas, acredito, mesmo assim, que tenho um anjo e ainda bem (espero que proteja igualmente aqueles em quem confio).
Um abraço felino,
Zorbas mamã

PS: arranjem um anjinho também...

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Dúvidas existenciais...

Gostava mesmo de saber por que raio de razão os atletas dos Jogos olímpicos mordem as medalhas quando as recebem! Imaginem se os actores dos óscares tivessem que morder o boneco quando são premiados!
Um abraço felino
Zorbas mamã

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Estamos em alta na bolsa de Lisboa...

Ou então não e apenas queremos dar um cumprimento surrealista a todos os que por aqui passam.
Era bom estarmos em alta na Bolsa, mas melhor era estarmos em maré baixa na praia...
Um abraço felino
zorbas

PS: mensagens altamente codificadas para mim mesma, ou então não e é absoluto nonsense...

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Obrigada amiga

É muito bom ter o ombro de alguém quando não queremos falar sobre nada de especial...
Obrigada pelo ombro amigo, minha amiga das plantinhas...

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Portugal pode ser uma fonte de inspiração humorística...

Ontem estava e contar uma história à pequena sementinha e, como inspiração tonta, pensei: posso contar episódios da História de Portugal, temos tantos e tão inspiradores (ou talvez não), e o que é que me ocorreu:
1.º O D. Afonso Henriques começou este país batendo na sua mãe, o que me causa um certo embaraço na forma como devo transmiti-lo à minha filha;
2.º Os Espanhóis andaram por aqui e foram expulsos por uma padeira, o que pode suscitar dúvidas infantis como: mas não é o exército que faz esse trabalho?
3.º O Américo Vespúcio queria ir para a Índia mas enganou-se no caminho...
4.º A Raínha Santa Isabel, não sabendo desculpar-se, arranjou uma roseira no colo (esta é de mestre)!
5.º As tropas do Junot roubaram-nos tesouros artísticos (que já havíamos roubado a alguém) e agora pagamos para vê-los nos melhores museus franceses...
6.º Tivemos um ditador durante 40 anos a proclamar que Portugal ía até Timor, mas sem nunca ter sentido sequer o cheiro desses países...
And so on
And so on...

A minha filha vai achar a História deste país uma boa fonte de inspiração humorística!
Um abraço felino
Mamã Zorbas

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

O Cavaco Silva disse qualquer coisa...

Ora bem amigos parece que o Cavaco Silva ontem falou para todos os portugueses! Não sabemos o que queria dizer com um assunto muito importante, porque infelizmente não percebemos o teor do comunicado. Com isto pus-me a reflectir sobre a importância das mensagens do Cavaco Silva ao país e concluí que se calhar ele chateou-se com a mulher e não tem quem lhe lave a roupa interior! Ou então, e correndo o risco de ter percebido mal o que disse, a mensagem real dele era:
O Nuno Rogeiro (do toda a gente sabe que, e afinal só ele é que sabe disso...) cortou o mítico cabelo!
Se o comunicado era sobre isto, que me parece um assunto da maior importância para os destinos do país, então até a Sementinha tem algo a dizer, querem ver:
fgfgv cffegcffdcv eecdev vbbv v cccccccc!

Um abraço felino
Mamã Zorbas e sua sementinha...

terça-feira, 8 de julho de 2008

Há que baralhar, baralhar e dar de novo...

Turim, Outubro de 2007

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Afinal o horóscopo pode ser realista...

Amigos!
Ontem estava mesmo chateada, mas lembrei-me que em Janeiro deste ano, naquela altura em que dormi muito pouco e estive fechada em casa com a minha pequena flôr, li num horóscopo (porque não temos grande capacidade de assimilar coisas nestas alturas da vida e os horóscopos parecem-me sempre divertidos) que a vida me ía correr bem a partir de meio do ano. Então, como sou uma optimista crónica por natureza, pensei, bom, tenho que reler o horóscopo, decidir se aceito o destino, ou então encontrar um sítio para ir sarar mágoas da vida.
E ontem acho que comecei a acreditar que afinal o horóscopo estava certo. Pequenos pormenores na vida fazem toda a diferença e o que me fez pensar foi mesmo um pequeno pormenor com grandes consequências...
É bom sentirmo-nos a mobilizar energias para coisas positivas, e por momentos deixar de lado alguns acidentes de percurso.
Afinal vou passar a acreditar em horóscopos!
Ou então não e vou mas é curtir a vida que é o que me tem faltado...
Um abraço felino

terça-feira, 1 de julho de 2008

Quando a vida ensina a sorrir...

A vida não me tem corrido muito bem.
Na verdade nem sequer posso fazer nada para mudar, não depende de mim nem de ninguém, depende da química de medicamentos e de outras envolvências que não interessam para o caso. De facto, com tudo isto e mais outras tantas coisas que também dependem de terceiros, podia baixar os braços e dizer que não me apetece mais viver assim.
Mas a vida ensina a sorrir, e a mim ensinou-me que os bebés são anjinhos que nos fazem concentrar esforços e encontrar forças onde não existem.
Um grande bem haja aos bebés que me rodeiam, sobretudo, à minha filha.
Um abraço felino

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Eles que paguem!

Os EUA têm coisas e pessoas maravilhosas, parece que é um país onde tudo acontece. Têm o Jazz, o Woody Allen, o Sean Pen, a Cidade de Nova Iorque, o deserto da Califórnia, o Martin Luther King, o Frank Ghery e o Frank Loyd Wright, o Alasca, o Conan O'Brien e o Daily Show, a Susan Sarandon, o Al Pacino, o Paul Auster, as panquecas ao pequeno almoço, as casas "portáteis", as boas bicicletas, as calças de ganga, os Sopranos, o Calvin Klein e os seus perfumes, os computadores e os ipods da apple, o sonho de uma vida melhor, and so on, and so on...
Contudo, os mesmos tipos que têm uma sociedade onde tudo é possível também têm a maior taxa de poluição do mundo ocidental, são os maiores consumidores de combustíveis fósseis do planeta, ainda que a China e a Índia possam começar agora a consumir muito (porque são uns largos milhares de pessoas a mais que nos EUA), são os inventores das principais armas de destruição e das mais eficazes a matar gente, inventaram uma guerra no "Médio Oriente" - o eixo do mal (como se os países do Médio Oriente fossem todos iguais), infernizam-nos com empréstimos bancários que não podem pagar, and so on, and so on...
Eu não tenho mesmo espírito anti-americano, pelo contrário, acho fantástico haver uma sociedade onde tudo é possível, mas começo a encher-me disto.
Por isso, eles que paguem a crise!

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Uma homenagem muito justa!

Um abraço cibernético ao André e principalmente para a escritora sua mãe, que por estes dia ganhou um prémio literário de fazer inveja!
Parabéns!

sábado, 17 de maio de 2008

ESTAVA QUASE A DESISTIR...

Mas veio o acordo ortográfico e não posso deixar este assunto em branco. Será uma revolução de pês e cês nunca antes vista!
Vai ser dificil passar a escrever ótimo, atual e outras tantas palavras. Para mim estas letras davam-nos um certo charme linguístico, tinhamos palavras com uma certa personalidade.
Bom, esperemos para ver o que dá...
Um abraço felino,
Zorbas mamã (que afinal voltou)

sábado, 26 de abril de 2008

Estamos no ar

Ora bem, estamos no ar, ou talvez não...
A emissão continua dentro de momentos, mas acho que noutro sítio, porque estou a ficar sem tempo para este.
Um abraço felino,
Zorbas, o gato mamã.

domingo, 6 de abril de 2008

U2 3D

Estão de volta os nossos amigos, vale a pena rever um grande concerto.
Um abraço felino

L.

domingo, 16 de março de 2008

Estamos de volta a apreciações mais ou menos importantes do nosso dia a dia...

É com prazer que re-introduzo a nossa amiga das plantinhas nas minhas recomendações, façam favor de visitá-la, parece que plantinhas não faltam naquele blog...
Entretanto, como tenho algum tempo para ver noticiários, passo aos assuntos triviais.
Sobre uma pseudo onda de violência dos últimos dias tenho a dizer que já estou irritada com isto. As notícias de todas as horas abrem com os atrasados mentais que andam aos tiros por esses subúrbios fora. E então? Pistoleiros e rufias sempre houve neste país, uns com armas e outros com esperteza, no entanto agora, que este país está cada dia mais cinzento e deprimido, parece que estes assuntos são importantes notícias. Um dia destes Rio de Mouro aparece no telejornal como uma terra do faroeste, mas nós continuamos a ver os senhores de sempre a comer pregos no Arco-Íris, os velhotes de sempre sentados ao pé da estação de comboios, enfim, a vidinha pacata de sempre. Eu pergunto-me será que mudou alguma coisa? Gangs em Rio de Mouro? Mas não houve sempre? Eu lembro-me que quando andei na escola primária havia um tipo que aos 14 anos já tinha passado por casas de correcção pelo menos três vezes. Mas parece-me que nessa altura o país estava mais empenhado em notícias a sério e não em ficções de jornalistas. A política do medo instalada por estas notícias já me começa a irritar, o próximo passo disto são aquelas iniciativas governamentais que retiram direitos ao comum dos mortais, sob a forma de pseudo-protecção policial.
Portanto, energúmenos deste país, não nos chateiem com as vossas tontices e concentrem-se no que realmente é importante, o combate à depressão generalizada.
Um abraço felino,
Zorbas mamã

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Numb

Don't move
Don't talk out-a time,
Don't think
Don't worry, everything's just fine
Just fine.

Don't grab
Don't clutch
Don't hope for too much
Don't breathe
Don't achieve
Don't grieve without leave.

Don't check, just balance on the fence
Don't answer
Don't ask
Don't try and make sense.

Don't whisper
Don't talk
Don't run if you can walk,
Don't cheat, compete
Don't miss the one beat.

Don't travel by train
Don't eat
Don't spill
Don't piss in the drain
Don't make a will.

Don't fill out any forms
Don't compensate
Don't cover
Don't crawl
Don't come around late
Don't hover at the gate


(FAT LADY - backing vocal)
I feel numb
I feel numb
Too much is not enough
Gimme some more
Gimme some more
Of that stuff love
Too much is not enough
Too much is not enough
I feel numb
I feel numb
Don't take it on board
Don't fall on your sword
Just play another chord

If you feel you're getting bored
Gimme what you got
Gimme what I don't get
Gimme what you got
Too much is not enough
I feel numb
I feel numb

Don't change your brand
Don't listen to the band
Don't gape Don't ape
Don't change your shape
Have another grape
Gimme some more
Gimme some more
Of that stuff love
Gimme some more
Too much is not enough

Don't plead
Don't bridle
Don't shackle
Don't grind
Don't curve
Don't swerve
Don't lie, die, serve

Don't theorise, realise, polarise
Chance, dance, dismiss, apologise

Don't spy
Don't lie
Don't try
Imply
Detain
Explain
Start again

Don't triumph
Don't coax
Don't cling
Don't hoax
Don't freak
Peak
Don't leak
Don't speak

Don't project
Don't connect
Protect
Don't expect
Suggest
I feel numb
I feel numb

Don't project
Don't connect
Protect
Don't expect
Suggest
I feel numb
Don't struggle
Don't jerk
Don't collar
Don't work
Don't wish
Don't fish
Don't teach
Don't reach
I feel numb
I feel numb

Don't borrow
Don't break
Don't fence
Don't steal
Don't pass
Don't press
Don't try
Don't feel
I feel numb
Don't touch
Don't dive
Don't suffer
Don't rhyme
Don't fantasise
Don't rise
Don't lie
I feel numb
I feel numb

Don't project
Don't connect
Protect
Don't expect
Suggest
I feel numb
I feel numb

Don't project
Don't connect
Protect
Don't expect
Suggest

I feel numb

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Changes

Low down
Ooo

Still don't know what I was waiting for
And my time was running wild
A million dead-end streets and
Every time I thought I'd got it made
It seemed the taste was not so sweet
So I turned myself to face me
But I've never caught a glimpse
Of how the others must see the faker
I'm much too fast to take that test

Ch-ch-ch-ch-Changes
(Turn and face the strange)
Ch-ch-Changes
Don't wanna be a richer man
Ch-ch-ch-ch-Changes
(Turn and face the strange)
Ch-ch-Changes
Just gonna have to be a different
Time may change me
But I can't trace time
Ooo yeah

I watch the ripples change their size
But never leave the stream
Of warm impermanence and
So the days float through my eyes
But still the days seem the same
And these children that you spit on
As they try to change their worlds
Are immune to your consultations
They're quite aware of what they're going through

Ch-ch-ch-ch-Changes
(Turn and face the strange)
Ch-ch-Changes
Don't tell them to grow up and out of it
Ch-ch-ch-ch-Changes
(Turn and face the strange)
Ch-ch-Changes
Where's your shame
You've left us up to our necks in it
Time may change me
But you can't trace time
Strange fascination, fascinating me
Ah Changes are taking the pace I'm going through
Ch-ch-ch-ch-Changes
(Turn and face the strange)
Ch-ch-Changes
Oh, look out you rock 'n rollers
Ch-ch-ch-ch-Changes
(Turn and face the strange)
Ch-ch-Changes
Pretty soon now you're gonna get older
Time may change me
But I can't trace time
I said that time may change me
But I can't trace time


David Bowie

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

14 anos...

Corria o ano de 1994 e começámos esta aventura. Apesar de todas as coisas estranhas que nos aconteceram, tem sido uma viagem e tanto, venham mais 14 iguais ou melhores.

Ao amor da minha vida,
L.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

O grande silêncio...

Comunicamos que, como os monges da Cartuxa, votaremos pelo silêncio nos próximos tempos.
Um abraço felino a todos,
A mamã Zorbas e a pequena sementinha.

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Para a minha pequena flor...

Em tantos momentos da vida achei que quando amamos alguém, fazêmo-lo com toda a fúria e intensidade, com tudo o que nos vai na alma e por vezes mais além... Agora descobri que é possível amar ainda mais. Sermos pais é amarmos mais do que tudo o resto na vida.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Não podia deixar este dia sem uma mensagem...


Parabéns Bruxinha...
Como me passou um camião TIR em cima no último dia do ano, mando-te apenas uma barrigada de riso como prenda, daquelas que nos fazem ganhar anos de vida...
Um abraço,
L.

Parece que foi desta...


2007, o ano de todas as angústias, incertezas, azares, enfim, um cento de outras coisas, trouxe-nos, exactamente às 17:52 uma sementinha maravilhosa.
Foi uma adrenalina descontrolada e um dia diferente de tudo o que vivemos até agora.
Um grande bem haja à nossa menina Margarida, que chegou agora ao mundo!
Um abraço felino a todos,

Até já...
ps: os pormenores das coisas bizarras que parecem acontecer durante o parto são dignos de nota, mas não agora...